Escrever um artigo inteligível e de tema tão estranho como o acima epigrafado não é tarefa muito fácil. Porém, escudado pela Bíblia, lançaremos com clareza e inerrância as provas bibliocêntricas de que, tanto no passado como hoje, muitos profetas vivem a profetizar segundo o desejo de um homem, de um grupo ou de uma elite, prestando-se a um papel repugnante, vulgar, pretensioso e hipócrita.

PROFETAS DE ALUGUEL

Denominação de "profetas de aluguel" os profetas de Baal (Baal era uma divindade pagã que os Israelitas encontraram na região da Palestina quando lá chegaram), que tinham como função principal apoiar religiosamente o rei (no nosso caso o rei Acabe), dizendo exatamente aquilo que ele desejava ouvir. (veja Nm. 22.38- o caso Balaão).

Estes profetas tinham como recompensa pelas suas falsa profecias o seguinte: 1) a honra de estarem perto de rei, onde quer que ele fosse; 2) alimentarem-se de seu manjar; 3) o serem chamados profetas; 4) serem aplaudidos pelas suas mentiras, etc.

Esses profetas de aluguel ainda se encontram em nosso meio. Para reconhecê-los, basta sabermos o seguinte:

  1. SÃO INSENSATOS: Tal qual os profetas de baal, tais homens profetizam segundo a vontade do rei e não segundo Deus.
    Assim como os profetas de Baal só profetizavam depois de tomarem conhecimento da vontade do rei (I Rs 22.3), estes também só dizem aquilo que têm percebido ser a vontade dos "Grandes líderes". Não importa a eles se está certo ou se é a vontade de Deus, o que importa são os "pontos" que eles vão aparecer mais que o outro. O verso 6 diz que todos profetizavam a "uma só voz"(uma só coisa) e isto com o intuito de agradá-lo.
  2. ERAM FALSOS: Falsos porque não falavam segundo Deus, mas segundo o coração do rei; tal como são falsos todos aqueles que falam com o único propósito de agradar ao homem (salvo quando este está revestido do Espírito de Deus e de humildade, demonstrando estar no centro da vontade de Deus). O verso 7 mostra-nos que o Rei Jeosafá os reconheceu facilmente depois que eles profetizaram: "Não há aqui algum profeta do Senhor para o consultar-mos?"
    Quando estão por aí autenticando com selo falso como se fossem do Espírito Santo as atitudes daqueles que julgam poder lhes dar alguma recompensa? Muitos, porém, a "todos será manifesto o seu desvario". 2ª Tm. 3.9.
  3. ANDAM À CATA DE HONRA: O verso 10 diz que estavam em seus respectivos tronos os reis, Acabe e Jeosafá e todos profetizavam "DIANTE DELES". Não é isto uma busca de honraria? Não estão em nossos dias um abastado números desses prosadores brigando para falarem "bonito" na frente dos "grandes líderes"!? O que esperam eles? Por certo esperam receber as recompensas das banalidades de cargos sem nenhum valor eterno, (têm valor sim, porém terreno). Ou serem impostos onde Deus não preparou para eles.
  4. ERAM INESCRUPULOSOS: Inescrupolosos porque para alcançarem seus objetivos (viverem às custas do rei) estavam dispostos até a agredir os verdadeiros profetas de Deus Vs 24. Naquele tempo, com agressão física; hoje com palavras, atos baixos de difamação, zombaria, menosprezo, etc.
  5. ERAM ACOBERTADOS PELO REI: Mesmo sabendo ser o Profeta Micaías o único profeta verdadeiro, Acabe nada fez para conter a agressão de Zedequias ou para reprimí-la. Nada fez porque lhe agradava sua atitude, visto estar agindo em sua defesa. Pergunto: Não seria este o motivo pelo qual muitos de nossos "MICAÍS" deixaram de falar em nossos "Encontros", congressos e confraternizações?
  6. PALAVRAS SEM CUMPRIMENTO: O verso 6 mostra-nos profetizando o bem e a vitória de Acabe. Já os versos 36 e 37 autenticam a falsidade de suas palavras e que a profecia dos quase quatrocentos não pode diante da verdade salutar revelada a um único servo de Deus, (Micaías). Enquanto não se deflagrou a guerra entre os dois exércitos, os falsos prevaleceram, mas vindo o tempo oportuno, Deus levantou a "cabeça de Micaías".

Podemos no uso da força, do imperialismo, dos arranjos, das estratégias, das negociações, manter ou fazer prevalecer nossa posição ou privilégios; virá porém a hora de apearmos do pedestal que não nos pertence, e a nossa palavra cairá no vazio e todos saberão que usamos o nome de Deus em proveito próprio.

Que Deus nos livre de no tornarmos "Profetas de Aluguel"

HOMENS QUE ALUGAM PROFETAS

Se é incrível alguém prestar-se como "profeta de aluguel", imaginemos aqueles que, como o rei Acabe, estão à procura de profetas para alugar, oferecendo-lhes os banais cargos de nenhum proveito e as honras fictícias que roubam as verdades que nos esperam no Céu.

Ao observarmos o comportamento do rei Acabe no capítulo 22 de I Reis, verificamos a correlação estreita entre eles. Vejamos suas tática:

1ª) Acabe deixava vazar seus planos, seu desejo, sua vontade. Vejamos o que diz o verso 3 "E o rei de Israel disse aos SEUS SERVOS…" que eram presos, encabrestados, agrilhoados pelo interesse que tinham de fazer a vontade do rei).

Esta é a tática número um dos que têm profetas de aluguel. Eles dizem: "Deus me falou…; Deus me revelou…; o Anjo do Senhor me orientou…"etc.(Longe de mim seja transparecer para aqueles que verdadeiramente têm tido grandíssimas e abençoadas revelações de Deus, que não creio em revelações, pois o que não podemos é usar isto como tática para fazer prevalecer um desejo que é particularmente nosso em nome de Deu). Porque tal qual Acabe, eles o dizem para os SEUS SERVO e não para os verdadeiros servos de Deus, já que estes são e não se macomunam com o mal, nem falam para agradar a homens mas a Deus At. 5.29.

2ª) A Segunda tática é Ter um grupo numeroso para apoiá-los. O verso 6 diz: "Então o rei de Israel ajuntou os profetas até quase quatrocentos homens.
A autenticidade não era a autoridade dos profetas, mas o número de homens que diziam a mesma coisa em favor da idéia do rei.

Este grupo falava, aplaudia, ovacionava, elogiava a pessoa do rei. Eles eram alugados, Diante de tanto aparato, de tanto apoio, acabavam prevalecendo os desejos do rei, e o povo incauto, sem conhecimento ou força para protestar, aceitava esses homens como profetas.

É muito perigoso para os que se utilizam desta prática. A bíblia diz em Gl. 6.7 "Tudo quanto o homem semear, ele ceifará". Hoje fazem um grupo para defender seus interesses em detrimento dos interesses do Reino de Deus; no amanhã podereis organizar um grupo contra ti, e por teres usado das "arma carnais" para alcançar seus objetivos, Deus o abandonará à sua sorte.

As maiores divisões em toda comunidade se dão pelo fato da liderança ter seu grupo seleto e menosprezar os demais integrantes. O pastor deve primar por ser "O pastor" da totalidade e não da maioria ou de um grupo.

Os versos 35 a 37 mostram-nos o trágico fim do rei que confiou em seus "Profetas de aluguel", bem como a dispersão de todo o Israel.

3ª) A terceira tática daqueles que "alugam profetas" é ADESTRAR E FORTALECER OS MEMBROS DO GRUPO DE APOIO. O verso 11 diz: "e Zedequias, Filho de Quenaanã , fez para si uns chifres de ferro"…
Faz parte da estratégia selecionar membros importantes e de destaque nacional; Zedequias, filho de Quenaanã… era pessoa tão ilustre que a Bíblia registrou sua descendência, fato que a Bíblia não faz com pessoas comuns, salvo algumas excessões.

O chifre é sinônimo de força quando Jacó estava abençoando os 12 patriarcas, coube como quinhão da tribo de José (Enfraim/Manassés) o poder de rechaçar seus inimigos com "chifres de boi selvagem"Dt.33.17. Zedequias foi preparado, adestrado e instruído para esta hora. Ele sabia o que devia fazer para emudecer a todos que não concordassem com as idéias do "rei". Ele usou "os chifres de ferro" por ser o meio natural de intimidação daquela época. Se fosse hoje, Acabe teria preparado um grupo de "letrados, lingüistas, doutores da lei, oradores profissionais", etc. At.24.1,2. Tais homens seriam dotados de grande capacidade de persuasão para convencerem, pelo bem ou pela força, todos os contradizentes. Seriam profundos conhecedores da "letra" da Bíblia para darem a ela a interpretação que melhor lhes conviesse o momento. Seriam afamados pelos seus fervoroso sermões que fariam delirar os maiores auditórios, mas tudo em favor do "rei".

4ª) A quarta tática é não permitir aos PROFETAS DE DEUS FALAREM. Atentemos para os versos 7 e 8. Jeosafá pergunta: "Não há aqui ainda algum profeta do Senhor, ao qual possamos consultar? Ao que respondeu Acabe: "Ainda há um homem por quem podemos consultar ao Senhor; porém eu o aborreço, porque nunca profetiza de mim bem, mas só mal…

Está evidenciado que não era intenção do Rei Acabe permitir que Micaías falasse. Acabe só desejava ouvir aos que ele tinha a certeza de que fariam conforme o desejo de seu coração. Acabe estava cercado por gente sem escrúpulos que andavam à cata de status; de ninharias burguesianas; de migalhas financeiras," etc.

5ª) A Quinta tática é ENVIAR MENSAGEIROS PARA TENTAR SUBORNAR OS VERDADEIROS PROFETAS, com "acordos" negociatas, arranjos, e coisas semelhantes. O verso 13 diz: "E o mensageiro que foi chamar a Micaías falou-lhe, dizendo: Vês aqui que as palavras dos profetas a uma voz predizem coisas boas para o rei; "SEJA, POIS, A TUA PALAVRA COMO A DUM DELES, E FALE BEM"…

Ora ninguém que esteja nos planos de Deus precisa temer a palavra de um único homem. Talvez ele tenha se lembrado de Elias que sozinho matara 450 profetas de Baal e outros 400 de Asera no Monte Carmelo, e temeu.

Deixemos o VERDADEIROS profetas de Deus falarem! A verdade está com eles! Não adianta taparmos as suas bocas, colocá-los no calabouço (Jr.37.16,17), na casa do cárcere (I Rs. 22.27), mais cedo ou mais tarde eles falarão

6ª) A última tática é tentar DESTRUÍ-LOS. Aqueles que não se VENDEM, não aceitam "negociatas, engodos, tramóias", são difamados e impedidos de falarem, de se manifestarem. O verso 27 mostra que vergonhosamente Acabe agiu, mesmo sabendo que aquele homem estava falando a mensagem de Deus. Ele foi mandado para o cárcere, sofreu fome, sede, humilhação, mas a sua palavra cumpriu-se. Talvez seja esta a razão pela qual os nossos "MICAÍAS" já não estão falando mais, devemos orar por eles.

Amados, não adianta termos um grupo que nos aprova, que nos dê honra, status, dinheiro, etc; o que realmente importa é: ESTARMOS NO CENTRO DA VONTADE DE DEUS E NOS SUBMETERMOS À SUA VONTADE. QUE OS PROFETAS DE DEUS FALEM!